21 fevereiro 2012

República da Anomia


“A anomia é um estado de falta de objetivos e perda de identidade, provocado pelas intensas transformações ocorrentes no mundo social moderno. A partir do surgimento do Capitalismo, e da tomada da Razão, como forma de explicar o mundo, há um brusco rompimento com valores tradicionais, fortemente ligados à concepção religiosa.
A Modernidade, com seus intensos processos de mudança, não fornece novos valores que preencham os anteriores demolidos, ocasionando uma espécie de vazio de significado no cotidiano de muitos indivíduos. Há um sentimento de se "estar à deriva," participando inconscientemente dos processos coletivos/sociais: perda quase total da atuação consciente e da identidade.” (fonte: Wikipedia)

Dia de Carnaval.

Neste dia em que me disseram que teria que trabalhar para ajudar ao crescimento do PIB, sinto-me profundamente grato ao meu povo. E aos empresários do meu país que, naturalmente, também fazem parte desse povo.

Questionei-me sobre o que significaria a sigla PIB e descobri que o governo não falava afinal do PRODUTO INTERNO BRUTO, até porque o funcionalismo público (FP) em pouco ou nada contribui para este, mas de PIV = PREPARADOS para vos INFERNIZAR a VIDA!

Afinal, o povo deste país deu a resposta devida ao sr. primeiro-ministro que resolveu por os seus “dependentes” a trabalhar para dar boa imagem aos seus chefes troikeiros. Ai de que eles viessem cá hoje avaliar e dar novas instruções e o FP em grande folia carnavalesca, quiçá a celebrar o corte dos subsídios. “Aqui d’el rei”.

Com o seu líder António Saraiva à cabeça, os empresários do sector privado deste país resolveram maioritariamente encerrar as suas portas neste dia porque terão chegado à conclusão óbvia de que as tradições enraizadas num povo não se alteram por decreto e, muito menos, com duas semanas de antecedência.

Os valores e objectivos nesta nossa sociedade de tradição judaico-cristã há muito que estão em degradação, declínio e desaparecimento acelerado. A caminho da deriva identitária. Do vazio irreversível. Da sociedade das cifras e dos cifrões.

Hoje cheguei adiantado ao trabalho. Trânsito? Parecia um Domingo.

Aliás, a memória neste país é curta e o sr. primeiro-ministro ainda era uma criança quando a “moda” foi lançada por Vasco Gonçalves num célebre Domingo de 1975 (apesar de ficarmos a dever a esse mesmo vulto a obrigatoriedade dos subsídios agora retirados!).
Quanto ao PIV, sr. STEPS RABBIT (é Carnaval e o sr. também não vai levar a mal), já estamos a sentir na pele os seus efeitos a cada segundo que passa. 


Fico à espera de um apuramento por parte do INE do impacto deste “dia de trabalho” no crescimento do PIB, o bruto.

Bom Carnaval a todos, especialmente para nós, FP, que não necessitamos de máscaras até porque já nos investiram permanentemente no papel de pagadores da crise criada e desenvolvida por uns foliões que só neste dia vem, afinal, tirar a sua máscara e se apresentam como os verdadeiros “gigantones cabeçudos” deste corso panorâmico chamado Portugal.

Abel J. Varandas
2012.02.21

Livres

Livres

Jehovah Jireh

Jehovah Jireh

Deus Não Está Morto

Inspiração Bíblica Diária