17 fevereiro 2009

Datas com propósitos


64
O incêndio de Roma
70
Tito destrói Jerusalém
150
Justino Mártir escreve a sua Apologia
156
O martírio de Policarpo
177
Ireneu torna-se bispo de Lião
196
Tertuliano começa a escrever livros cristãos
205
Orígenes começa a escrever
251
Cipriano escreve Unidade da igreja
270
Antão começa sua vida de eremita
312
A conversão de Constantino
325
O Concilio de Nicéia
367
A carta de Atanásio reconhece o cânon do Novo Testamento
385
O bispo Ambrosio desafia a imperatriz
387
Conversão de Agostinho
398
João Crisóstomo torna-se bispo de Constantinopla
405
Jerónimo completa a Vulgata
432
Patrício é enviado como missionário à Irlanda
451
O Concilio de Calcedonia
529
Bento de Núrsia estabelece a sua ordem monástica
563
Columba vai à Escócia como missionário
590
Gregorio I torna-se papa
664
O Sínodo de Whitby
716
Bonifácio parte para ser missionário
731
Beda, o Venerável, conclui a sua Historia eclesiástica da Inglaterra
732
A Batalha de Tours
800
Carlos Magno é coroado imperador
863
Cirilo e Metódio evangelizam os eslavos
909
Um mosteiro é estabelecido em Cluny
988
Conversão de Vladimir, príncipe da Rússia
1054
O cisma entre Oriente e Ocidente
1093
Anselmo é escolhido arcebispo de Cantuária
1095
O papa Urbano II lança a primeira Cruzada
1115
Bernardo funda o mosteiro de Claraval
1150
Fundação das universidades de Paris e de Oxford
1173
Pedro Valdo funda o movimento valdense
1206
Francisco de Assis renuncia à riqueza
1215
O IV Concilio de Latrão
1273
Tomás de Aquino completa sua Suma teológica
1321
Dante conclui A divina comédia
1378
Catarina de Sena vai a Roma para solucionar o Grande Cisma
1380
Wycliffe supervisiona a tradução da Biblia para o inglés
1415
John Hus condenado à fogueira
1456
John Gutenberg produz a primeira Bíblia impressa
1478
O estabelecimento da Inquisição espanhola
1498
Savonarola é executado
1512
Michelangelo completa a cúpula da Capela Sistina
1517
Martinho Lutero afixa As noventa e cinco teses
1523
Zuínglio lidera a Reforma na Suíça
1525
Início do movimento anabaptista
1534
O Acto de Supremacia de Henrique VII
1536
João Calvino publica As instituías da religião cristã
1540
O papa aprova os jesuítas
1545
Abertura do Concilio de Trento
1549
Cranmer produz o Livro de oração comum
1559
John Knox volta à Escócia para liderar a Reforma
1572
O massacre do Dia de São Bartolomeu
1608
John Smyth baptiza os primeiros baptistas
1611
Publicação da Versão King James da Bíblia
1620
Os peregrinos assinam o Pacto de Mayflower
1628
Comenio é expulso de sua terra natal
1646
A Confissão de fé de Westminster
1648
George Fox funda a Sociedade dos Amigos
1662
Rembrandt pinta O retorno do filho pródigo
1675
Philip Jacob Spener publica Pia desideria
1678
Publicação da obra O peregrino, de John Bunyan
1685
Nascimento de Johann Sebastian Bach e de George Frederic Handel 707
1707
Publicação da obra Hinos e cânticos espirituais, de Isaac Watts
1727
Despertamento em Herrnhut dá início ao movimento dos Irmãos Morávios
1735
Grande despertamento sob a liderança de Jonathan Edwards
1738
Conversão de John Wesley
1780
Robert Raikes dá início à escola dominical
1793
William Carey viaja para a Índia
1807
O Parlamento britânico vota a abolição do comércio de escravos
1811
Os Campbells dão início aos Discípulos de Cristo
1812
Adoniram e Ann Judson viajam para a Índia
1816
Richard Allen funda a Igreja Episcopal Metodista Africana
1817
Elizabeth Fry dá início ao ministério às mulheres encarceradas
1830
Começo dos avivamentos urbanos com Charles G. Finney
1830
John Nelson Darby ajuda a dar início à comunidade dos irmãos de Plymouth
1833
O sermão Apostasia nacional, de John Keble, dá início ao Movimento de Oxford
1854
Hudson Taylor chega à China
1854
Soren Kierkegaard publica ataques à cristandade
1854
Charles Haddon Spurgeon torna-se pastor em Londres
1855
Conversão de Dwight L. Moody
1857
David Livingstone publica Viagens missionárias
1865
William Booth funda o Exército de Salvação
1870
O papa Pio IX proclama a doutrina da infalibilidade papal
1886
Início do Movimento Estudantil Voluntário
1906
O avivamento da rua Azusa dá início ao pentecostalismo
1910
Publicação da obra Os fundamentos lança o movimento fundamentalista
1919
Publicação do Comentário da carta aos romanos, de Karl Barth
1921
Transmissão do primeiro programa cristão de rádio
1934
Cameron Townsend dá início ao Instituto de Verão de Linguística
1945
Dietrich Bonhoeffer é executado pelos nazis
1948
O Conselho Mundial de Igrejas é formado
1949
Cruzada Billy Graham em Los Angeles
1960
Início da renovação carismática moderna
1962
Início do Concilio Vaticano II
1963
Martin Luther King Jr. lidera a Marcha até Washington
1966
A igreja chinesa cresce apesar da Revolução Cultural

12 fevereiro 2009

Charles quê???


Tu, nosso Senhor e nosso Deus,
és digno de receber glória, honra e poder
porque criaste todas as coisas.
É por tua vontade que elas existem.

Apocalipse 4:11
O Livro

10 fevereiro 2009

BÍBLIA CONTRA DARWIN: NUNCA FOMOS MACACOS



Criacionistas em Portugal.
A ideia de que o 'Homo sapiens' descende de outros primatas e esses de outros animais e esses por sua vez de formas de vida mais incipientes, até ao início da vida algures há muitos mil milhões de anos, ninguém sabe como nem porquê é recusada por muito boa gente. Ora leia

Há quem não celebre 'A Origem das Espécies'

" Os protestantes não perdem uma ocasião de ter uma zanga com o mundo." Tiago Oliveira Cavaco, 31 anos, formado em Ciências da Comunicação na Universidade Nova, músico com discos editados ("Vou tendo bandas"), bloguer (de A Voz do Deserto, com subtítulo "religião e panque roque"), pai de três crianças (Maria, quatro anos, Marta, dois e Joaquim, um), cristão baptista e pregador "ainda não consagrado", diz- -se, no entanto, um criacionista brando. "Acredito naquilo em que o cristianismo ortodoxo acredita: que o mundo foi criado por Deus. Os católicos também acreditam nisso mas convivem bem com o evolucionismo, são mais preguiçosos. Nós agarramo-nos mais à Bíblia.

"De facto, num país em que, dizem as sondagens e inquéritos, a maioria das pessoas é cristã católica, o que significa que acredita num ser superior e criador, responsável por tudo o que existe e atento a tudo o que se passa, e na vida depois da morte num lugar agradável chamado paraíso ou desagradável chamado inferno ou num sítio a meio caminho chamado purgatório dependendo de um sistema de pontos relacionado com boas e más acções, o ponto de partida do criacionismo não deve surgir como algo de muito extraordinário. Afinal, ser criacionista é basicamente crer que há um deus responsável por tudo o que existe e que a Bíblia é, além da palavra revelada desse deus, também um livro de história com o guião exacto do surgimento da Terra e da vida sobre ela. Até aqui, nada de substancialmente novo, certo? A diferença fundamental reside no facto de os criacionistas considerarem que o criacionismo é uma doutrina científica.

Ao contrário do que se passa com a maioria dos católicos, porém, os criacionistas, geralmente evangélicos, negam a possibilidade da evolução das espécies tal como é ensinada na escola, nomeadamente a parte em que a humanidade descende de outros primatas e é fruto de mais de um milhão de anos de diferenciações genéticas. Os criacionistas crêem que somos todos descendentes de um casal primordial - Adão e Eva, os próprios, ele feito de barro, ela de uma costela dele - cuja criação divina ocorreu há cerca de seis mil anos, e que como esse casal, criado já adulto como se narra no livro do Génesis, foram criadas todas as outras espécies, incluindo as extintas (como os dinossáurios, cuja extinção é geralmente localizada há 65 milhões de anos).

"As pessoas vêem-nos como excêntricos", reconhece Tiago Cavaco. "Mas se esta discussão não tivesse qualquer tipo de sustentabilidade científica ela não se aguentaria. E a verdade é que ganhou espaço. Os alegados factos científicos que fundamentam a teoria da evolução são rebatidos pelos bons criacionistas." Um bom criacionista será, por exemplo, o engenheiro electrónico portuense Agostinho Santos. Sessenta e cinco anos, trinta e três livros publicados ("e mais dez no computador"), o último dos quais em Julho passado, sobre dinossáurios, mergulha na literatura científica e depois "compatibiliza-a com a Bíblia". Por exemplo, sobre os dinossáurios: "Acredito que houve dinossáurios, até porque há evidência disso, pegadas, ovos, fósseis. Há quem não acredite, mas eu acredito, apesar de a Bíblia não falar deles. E não vejo nenhuma contradição entre a Bíblia e a ciência, aliás nunca se encontrou um erro na Bíblia. Quanto ao desaparecimento deles, o que Bíblia diz é que a certa altura houve um dilúvio universal - e há vestígios disso - e sepultou muitos animais. Este dilúvio teria sido uns 4500/5000 anos antes de Cristo. E acho que depois do dilúvio houve uma alteração da temperatura da Terra.

"Para o facto de apesar de segundo o relato bíblico Noé ter construído um barco onde colocou um casal de cada animal existente na Terra, para salvar os frutos da Criação, e de portanto assim ter tido forçosamente de salvar um casal de cada tipo de dinossáurio, o que impediria a sua extinção, Agostinho Santos tem uma explicação. "Na arca de Noé as espécies ficaram como que estranguladas. Só havia um casal de cada. Imaginemos que um dos dinossáurios ao sair da arca partiu uma perna. Acabava logo ali aquela espécie." Além disso, acrescenta, "ninguém na verdade sabe o que aconteceu aos dinossáurios. Há hipóteses"...

A ideia de que as respostas fundamentais daquilo a que se chama ciência às perguntas fundamentais (que somos, por que somos, de onde vimos, de onde veio tudo, porquê) não são mais que hipóteses metafísicas, uma questão de fé como aquela que "segura" o criacionismo é afinal o fulcro da explicação do criacionismo aos não convertidos. "Creio que tanto o evolucionismo como o criacionismo são modelos: com base nas mesmas descobertas e artefactos materiais é possível construir modelos distintos. Mas não considero que se possa chegar ao livro do Génesis e fazer uma interpretação literal - não se pode dizer que é um relato científico." Samuel Pinheiro, arquitecto e secretário-geral da Aliança Evangélica Portuguesa, é um defensor da possibilidade de, como sucede em alguns estados dos EUA, o criacionismo ser ensinado nas escolas públicas paralelamente ao evolucionismo: "O evolucionismo é totalitário, quer-se impor como a única forma de compreender o mundo." Até porque, garante, "as pessoas resistem de um modo geral à ideia de que tudo surgiu por acaso, crêem que existe uma inteligência em tudo o que existe". Quando dava aulas no liceu, e quando falava disso com os seus alunos, eles concordavam. "Diziam, professor, tem razão, nós também não acreditamos que tudo tenha surgido por acidente." E conclui: "Ou tudo surgiu a partir de nada ou tudo surgiu a partir de Deus - qual destas hipóteses é a mais credível?"

Jónatas Machado, 45 anos, constitucionalista, professor na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e apontado por todos os evangélicos contactados como "o grande criacionista português", não tem dúvidas. "Quem é irracional é quem postula uma criação irracional e por acaso. Aliás, há fortes evidências científicas no sentido de uma criação ordenada. Por exemplo, a existência de leis naturais corrobora a existência de uma criação ordenada - a lei da gravidade, da biogénese, do movimentos dos planetas, são compatíveis com a ideia de uma criação inteligente. Uma outra evidência importante de criação inteligente é a quantidade inabarcável de informação que existe no genoma. Ora quando encontramos num qualquer sistema de informação codificada isso significa, alto lá, há aqui origem inteligente. E no DNA encontramos informação codificada em qualidade e densidade e quantidade que e excede a capacidade tecnológica humana, toda a capacidade da comunidade científica."

Especialista há poucos anos - "Fui em 2004 com um colega constitucionalista assistir a uma conferência do físico alemão criacionista Werner Ditt, e esse meu colega estava a ditar uma revista e queria um texto sobre criacionismo. Pediu-me 30 páginas e eu escrevi 70. A ideia era fazer um apanhado do que dizem as várias especialidades de cientistas criacionistas nas várias áreas" -, tornou-se, "quer queira quer não", a maior referência portuguesa em criacionismo: "Toda a gente me pergunta coisas e me convida para conferências." Com os seus principais textos criacionistas disponíveis na Net, no portal da Associação Evangélica Portuguesa, Machado afirma nunca se furtar ao diálogo e confronto. Sendo profundamente religioso, proclama-se também um adepto da liberdade e expressão e um inimigo de leis que condenem a blasfémia. "Gosto de debater com quem pensa diferente de mim. Ajuda-me a pensar." Ainda assim, há algo que não questiona: a existência e o porquê de Deus. "Quem não acredita em Deus tem de acreditar que tudo vem do nada. O ateu Richard Dawkins diz que o universo nasceu por acaso do nada, mas isso não é ciência, é metafísica. E mostra que o que está aqui em causa não é uma oposição entre ciência e fé, mas entre duas visões do mundo metafísicas, em função das quais toda a realidade é lida." Assim tão simples. E seja qual for a objecção encontrada, da idade das estrelas (orçada em muitos milhões de anos, quando para o criacionismo só podem ter seis mil) aos fósseis, passando pela inevitabilidade do incesto em série que estaria na base da humanidade criada a partir de um único casal, Jónatas Machado tem uma resposta. "Os criacionistas e os evolucionistas têm a mesma evidência: as mesmas rochas, os mesmos ossos, os mesmos artefactos. O que é diferente é a forma de os ver. Por exemplo, onde os evolucionistas vêem, nos genes, evidência de um ancestral comum, os criacionistas olham para os mesmos genes e vêem a evidência de um criador comum." Para resumir: "Newton dizia que ciência é uma engenharia do avesso, tentar perceber a criação de Deus da frente para trás. Pensar os pensamentos de Deus depois de Deus."


- Fernanda Câncio in Diário de Notícias, 7 de Fevereiro de 2009


09 fevereiro 2009

Peço-te duas coisas, meu Deus,
concede-me até ao fim da vida.
Afasta de mim a falsidade e a mentira
e não me faças rico nem pobre.
Dá-me apenas o necessário para viver;
porque na abundância, poderia renegar-te
e dizer que não te conheço;
na miséria, poderia roubar
e ofender assim o nome de Deus.

- in Bíblia Sagrada (BNePC)

02 fevereiro 2009


Parabéns, meu amor!


Todos os momentos da minha vida estão nas tuas mãos
(Salmo 31.15)

Oração da paz



Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz;
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé;
Onde houver erros, que eu leve a verdade;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, fazei com que eu procure mais consolar,
que ser consolado;
Compreender, que ser compreendido;
Amar, que ser amado;
Pois é dando que se recebe;
É perdoando, que se é perdoado;
E é morrendo que se vive para a vida eterna.


Francisco de Assis

Livres

Livres

Jehovah Jireh

Jehovah Jireh

Deus Não Está Morto

Inspiração Bíblica Diária