10 novembro 2006

PORQUE NÃO SOU POETA




Quereria descrever em palavras inspiradas
A beleza do mar, das árvores, das flores,
O rugido do leão ou o balido do cordeiro
Escrever poemas, versos, elegias
Ao branco das nuvens, ao multicolorido das aves


Mas não sou capaz
Porque não sou poeta, nem sequer escritor

Saber cantar em melódica exposição
A imponência das montanhas, dos vales, das planícies
E a plenitude azulada do firmamento
Romancear o sorriso inocente de uma criança
Ou o olhar sábio de um ancião

Mas não sou capaz
Porque não sou poeta, nem sequer escritor

Verbalizar empolgadamente a magia
Dos peixes vogando nas profundezas
De um oceano imenso
Do chilrear dos pássaros, do seu planar
De um nascer ou por-do-sol no horizonte

Mas não sou capaz
Porque não sou poeta, nem sequer escritor

Num momento de sublime inspiração
Mesmo sem musas ou tágides
Poder exaltar a magnificência da Criação
Que alguns por se julgarem poetas, ou talvez escritores
Afirmam ser obra de um qualquer inenarrável acaso

Mas também não sou capaz
Porque não sou poeta, nem sequer escritor

Mas há algo que sei que sou capaz
Como glória da Tua Criação
À tua imagem e semelhança concebido
Sem metáforas nem alegorias
Sem lírica, epopeia ou narrativa

Mesmo sem ser poeta, nem sequer escritor

Dizer-Te apenas com o coração aberto
Agora e para sempre:
OBRIGADO, SENHOR!


Abel Varandas
Dez. 2005

Livres

Livres

Jehovah Jireh

Jehovah Jireh

Deus Não Está Morto

Inspiração Bíblica Diária